segunda-feira, 9 de abril de 2012

Um jovem aprendiz de Paulo: TIMÓTEO

1. Introdução

A biografia do jovem Timóteo constitui uma verdadeira fonte de ensino para todo aquele que tiver o desejo de servir a Deus em uma área específica, obedecendo assim um chamado de Deus. Este trabalho pretende ampliar os conhecimentos a respeito desse jovem missionário, estudando um pouco sobre a sua infância, sua conversão, seu chamado para acompanhar Paulo a partir da 2ª viagem missionária, e principalmente o seu ministério prático nas igrejas, vendo um pouco das barreiras que esse jovem teve de enfrentar para ser bem sucedido em seu ministério, e mostrando os conselhos que ele recebeu para o seu trabalho, como ele obedeceu a esses conselhos, e pôde ser chamado pelo apóstolo Paulo de fiel colaborador pronto a obedecer qualquer chamado. Esse jovem aprendeu a vencer a timidez para que pudesse desempenhar o seu papel da melhor forma, mostrando-nos que Deus é capaz de modificar qualquer situação para que a sua obra seja completa.   


2. A vida do jovem Timóteo

2.1. Infância

Timóteo era filho de uma mulher judia, chamada Eunice, mas seu pai era Grego (GARDNER, 1999,  pg 640).   De acordo com Atos 16: 1-2, ele nasceu provavelmente em  Listra, na Licaônia, onde o apóstolo Paulo o encontrou pela primeira vez (BUCKLAND, 1981, pg 428), também o seu nome na referência citada de Atos, aparece em maior proximidade com o nome de Listra (CHAMPLIN, 1991 pg 553). Sua mãe é evidentemente a principal responsável por instruí-lo nas Sagradas Escrituras (DOUGLAS, 2003, pg 1616), bem como nas leis judaicas, visto que ela era judia piedosa, e o seu pai não poderia ser seu mestre uma vez que ele era gentio. Entretanto ele só fora circuncidado por Paulo já na sua juventude (Atos 16:3). Aprendemos em 2 Timóteo 1:5, que ele foi ensinado nas Sagradas Escrituras por sua avó Lóide e sua mãe Eunice, mas segundo o comentário de Davidson, devemos entender este versículo como Timóteo tendo sido ensinado a respeito do Velho Testamento e da lei judaica e não da fé salvadora em Cristo, uma vez que suas mestras só se converteram na primeira viagem missionária de Paulo, mostrando assim que na infância de Timóteo elas ainda não eram crentes, ou seja, não possuíam Jesus como Salvador, não sendo assim cristãs, mas mesmo assim foi muito importante o ensinamento das duas, pois com isso Timóteo aprendeu desde pequeno a servir e adorar a Deus com sinceridade consciente (DAVIDSON, 1976, pg 1324 e 1325). Vemos, portanto, que apesar dele ser filho de um casamento misto “judeu com gentio” ele foi privilegiado em desde pequeno conhecer as Escrituras e apesar de não ter sido circuncidado na infância, ele era um judeu piedoso, é possível que ele não fora circuncidado porque o seu pai “chefe do lar” era gentio e não seguia esta lei judaica da circuncisão, entretanto, não podemos provar isto uma vez que os comentaristas do trabalho nada comentam sobre o assunto.

2.2. Vida cristã inicial

Timóteo, apesar de conhecer as Escrituras, não era convertido ao cristianismo. É provável que ele tenha se convertido mais ou menos aos treze anos de idade (CHAMPLIN, 1991, pg 552) na primeira viagem missionária de Paulo, pois nesta viagem Paulo passou em Listra, e em 2 Timóteo 3:11, Paulo afirma que Timóteo foi testemunha ocular de suas perseguições em Listra. Também sabemos que na segunda viagem missionária de Paulo, sua mãe já era crente e Timóteo também (DOUGLAS, 2003, pg 1616). Entre a conversão de Timóteo na primeira viagem de Paulo até a segunda viagem em que Paulo passou novamente em Listra, já havia passado cerca e seis anos, portanto Timóteo já era um jovem de aproximadamente 18 a 20 anos (CHAMPLIN, 1991, pg 552), e, neste período de tempo, Timóteo crescera sobremodo na fé cristã, pois em Atos 16:1-2, vemos que ele era estimado por seus irmãos na fé, tanto em Listra, quanto em Licaônia (DOUGLAS, 2003, pg 1616). Sabemos que ele fora instruído desde cedo na lei judaica, entretanto ele só foi circuncidado por Paulo na segunda viagem missionária conforme Atos 16:3 nos descreve (CHAMPLIN, 1991, pg 553). Após seu testemunho de fé verdadeira entre os irmãos, e após ter sido circuncidado, ele estava preparado para seguir Paulo em suas viagens missionárias e assim ele o fez seguindo Paulo e confirmando a fé dos irmãos que Paulo havia deixado nas igrejas que fundara na primeira viagem. A partir daí Timóteo passou a ser cooperador de Paulo. Vemos em 1 Timóteo 4:14, que no início de sua fase adulta, quando ele estava no ministério, que ele possuía habilidade para pregar e, Champlin diz que ele tinha o dom profético (CHAMPLIN, 1991, pg 553). A vida cristã de Timóteo iniciou em sua adolescência, e a partir daí ele foi crescendo espiritualmente, aproveitando muito bem sua adolescência no serviço a Deus em sua igreja local, na cidade de Listra, de tal forma empenhado no serviço que todos os irmãos davam bom testemunho de sua fé, até que na sua juventude já estava preparado para ser um missionário juntamente com o apóstolo Paulo. Sua firmeza inicial foi muito importante para que Paulo o escolhesse para o ministério.

3. O fiel colaborador de Paulo.

3.1. Sua chamada para missão.

 No início da segunda viagem missionária de Paulo, houve separação entre o Apóstolo e Barnabé, conforme descrito em Atos 15:37-39, por causa de João Marcos (BUCKLAND, 1981, pg 428-429), pois Paulo não achava justo leva-lo nesta viagem, visto que ele os abandonara a algum tempo atrás.
 Antes de partir de Antioquia para a segunda viagem, Paulo escolheu Silas para substituir Barnabé (DOUGLAS, 2003, pg 1616) e ambos seguiram viagem até chegarem a Listra, onde Paulo reencontrou Timóteo (At. 16:1), o qual anteriormente, em sua primeira viagem lhe pregara o evangelho e fora seu pai na fé. Paulo decidiu adicioná-lo ao grupo, em substituição a João Marcos (DOUGLAS, 2003, pg 1616), pois sabia que o mesmo tinha capacidade para colaborar em lideranças de igrejas emergentes (GARDNER, 1989, pg 641). Porém, outros fatores ajudaram nesta escolha, pois depois Paulo refere-se a declarações proféticas que confirmavam Timóteo ser separado para a obra pela imposição de mãos dos anciões e de Paulo conforme 1 Timóteo 4:14, (DOUGLAS, 2003, pg 1616). Champlin diz que Paulo precisava de um outro assistente, pois sua missão era difícil e ele não era auto-suficiente, assim como ninguém o é (CHAMPLIN, 1991, pg 553).
Timóteo seguiu Paulo e Silas e tornou-se um colaborador tão fiel que ele é o companheiro de Paulo mais recomendado pelo Apóstolo: 1 Coríntios 16:12, Filipenses 2:19 e 2 Timóteo 3:10, (CHAMPLIN, 1991, pg 553). Em Romanos 16:21, Paulo diz que Timóteo é um fiel colaborador. Na saudação aos Filipenses, associou-o consigo mesmo e, na carta aos Coríntios 16:10 e 11, os instruiu a não desprezarem Timóteo, pois o mesmo fazia a obra de Cristo da mesma forma que Paulo (GARDNER, 1999, pg 641).

3.2. Seu Ministério

Timóteo trabalhou com Paulo e Silas, visitando as Igrejas fundadas na primeira viagem de Paulo, pregando em cidades da Macedônia como: Filipos, Tessalônica e Beréia de acordo com 2 Coríntios 1:19, com o intuito de chegar até a Europa (GARDNER, 1999  pg  640). Permaneceu um tempo em Beréia “Atos 17:13-14”, enquanto Paulo seguiu para Atenas (BUCKLAND, 1981, pg 429). Após um tempo Paulo desceu a Corinto e Timóteo e Silas foram encontrá-lo lá (GARDNER, 1999 pg 640). Buckland diz que Timóteo foi encontrar Paulo em Atenas primeiramente e não em Corinto (BUCKLAND, 1981, pg 429), mas é evidente que Timóteo encontrou Paulo em Atenas, pois foi enviado de lá para fortalecer os irmãos de Tessalônica (1 Tessalonicenses 3) (GARDNER, 1999  pg 641), sendo esta sua primeira missão (DOUGLAS, 2003, pg 1616), ajudando na fundação desta igreja “Atos 17:14” (BUCKLAND, 1981, pg 429), tendo sido enviado com o propósito de fortalecer os irmãos Tessalonicenses em meio ás perseguições (GARDNER, 1999  pg 641), trazendo notícias boas para o seu mestre que se encontrava em Corinto (BUCKLAND, 1981, pg 429). Após esta missão, o vemos junto com Paulo em Éfeso “Atos 19:22”, de onde foi enviado junto com Erasto para a Macedônia e em seguida para Corinto (CHAMPLIN, 1991 pg 553), com uma missão especial (BUCKLAND, 1981, pg 429), como embaixador de seu mestre a fim de corrigir alguns erros na igreja de Corinto, entretanto não foi bem sucedido, devido à sua extrema timidez (DOUGLAS, 2003, pg 1616), por isso Tito foi enviado, tornando-se provavelmente o delegado apostólico de Corinto (CHAMPLIN, 1991 pg 553). Douglas afirma que Timóteo acompanhou Paulo em outra visita à Corinto “Rm 16:21”, depois da missão de Timóteo, pois seu nome aparece numa saudação aos Romanos, carta que o apóstolo Paulo escreveu de Corinto (DOUGLAS, 2003,  pg 1616). Acompanhou Paulo à Ásia “Atos 20:4”, não sabemos se foi com Paulo até Roma, mas sabemos que foi encontrá-lo lá e em seguida enviado a Filipos “Fp 2:19” (BUCKLAND, pg 429). Champlin diz que Timóteo seguiu Paulo à Jerusalém levando a coleta para os santos “Atos 20:4-5”, e acompanhou Paulo até Roma, indo depois a Efeso para cuidar da questão dos falsos mestres, e para realizar outras funções, é por isso que podemos classificá-lo como bispo de Éfeso (CHAMPLIN, 1991, pg 553).
Na última prisão de Paulo, quando este estava às vésperas do julgamento que o condenaria à morte, temendo não ver Timóteo novamente, escreveu as Cartas a Timóteo, pedindo que o mesmo fosse vê-lo depressa (DOUGLAS, 2003, pg 1617), porém não sabemos se Timóteo chegou a vê-lo antes da execução de Paulo, pois em Hebreus fala da saída de Timóteo da prisão, mas não sabemos a data, entretanto a tradição eclesiástica acredita que Timóteo foi o primeiro bispo de Éfeso morrendo ali martirizado no mesmo período que João estava exilado na Ilha de Patmos (BUCKLAND, 1981, pg 429).
Devido à elevada dedicação de Timóteo no ministério, Paulo o encarregou de diversas missões especiais, pois confiava no jovem Timóteo (CHAMPLIN, 1991, pg 553).
 4. Timóteo: Honrado por Deus

4.1. Seu nome na Bíblia.

Timóteo foi um grande servo de Deus e por isso foi honrado com o seu nome tendo sido escrito nas Escrituras diversas vezes. No grego “Timótheos” significa “honrado por Deus”. Este significado é bem expresso quando vemos que seu nome foi escrito vinte e quatro vezes no Novo Testamento: Atos 16:1; 17:14, 15; 18:5; 19:22; 20:4; Romanos 16:21; 1 Coríntios 4:17; 16:10; 2 Coríntios 1:1,19; Filipenses 1:1; 2:19; Colocensses 1:1; 1 Tessalonicenses 1:1; 3:2, 6; 2 Tessalonicenses 1:1; 1 Timóteo 1:2, 18; 6:20; 2 Timóteo 1:2; Filemon 1e Hebreus 13:23.Vemos, portanto que seu nome aparece em todas as Espítolas Paulinas, não aparecendo apenas em Gálatas. Esse fato pode ser explicado pelo fato de Timóteo ser um dos mais constantes e  fiéis companheiro de Paulo, ajudando o Apóstolo desde a segunda viagem missionária, obedecendo sempre aos pedidos missionários que o Apóstolo Paulo lhe fazia. Nas Epístolas Paulinas ele é constantemente chamado de “irmão”: 2 Coríntios: 1:1 , Colocensses 1:1: 1 Tessalonicenses 3:2 e Filemon 1, e em Filipenses 1:1 ele é chamado de “servo de Cristo”, mostrando assim a lealdade desse jovem companheiro (CHAMPLIN, 1991, pg 552 e 553).

4.2. Características pessoais e espirituais

O jovem Timóteo sempre foi muito dedicado à obra de Deus, sabemos, todavia que ele era um ser humano, e como tal possuía virtudes e defeitos. Vemos nas Escrituras que as suas fraquezas são tão evidentes quanto as suas virtudes (DOUGLAS, 2003, pg 1616).
Dava exemplo de fidelidade a Deus desde a sua juventude, “Atos 16:2”, e, na fase adulta, durante seu ministério, demonstrou grande habilidade como pregador além de possuir o dom profético “2 Timóteo 4:14” (CHAMPLIN, 1991, pg 553).
O Apóstolo Paulo acreditava no potencial que Timóteo tinha para servir em qualquer igreja, pois tinha plena confiança no seu histórico como obreiro cristão “Fp 2:22” (GARDNER, 1999, pg 641). Portanto, ele foi o companheiro de Paulo mais calorosamente recomendado por motivo de fidelidade. Em 2 Timóteo 1:4, diz que ele era um homem afetuoso (DOUGLAS, 2003, pg 1616).
A característica pessoal que mais lhe incomodou no seu ministério foi a timidez. Em 1 Coríntios 16:10,11, Pulo pede que os coríntios não o desprezem e o deixem à vontade, e sabemos que o ministério de Timóteo ali na cidade de Corinto não foi bem sucedido (DOUGLAS, 2003, pg 1616).
Ele não tinha uma boa saúde, sofria de algumas enfermidades, uma delas sendo problemas estomacais, pois em 1 Timóteo 5:23, Paulo o aconselha a exercitar-se e a tomar outras precauções necessárias (GARDNER, 1999, pg 642). 

5. Conselhos paulinos a Timóteo

5.1. Conselhos práticos para sua vida pessoal e ministerial.

Nas Cartas a Timóteo escritas por Paulo, encontramos muitos conselhos que o Apóstolo deixou para Timóteo exercer em sua vida, a fim de ter um ministério verdadeiro para com Deus, e, com certeza é útil para nós hoje.
Em 1 Timóteo 4: 7 Paulo diz a Timóteo que o relacionamento pessoal dele com Deus, era tão importante para sua vida quanto para o seu ministério, tendo assim uma vida de piedade para com Deus. Apesar de sua juventude ele deveria servir a Deus de tal forma a ninguém encontrar falta nele “1 Tm 4:12”, e ser um líder exemplar, usando seus  dons para o progresso da Igreja (GARDNER, 1999, pg 642), antes de tudo porém, em 1 Timóteo 2: 1, vemos que é muito importante a prática da oração por todos os homens (DAVIDSON, 1976, pg 1315).
Como representante de Paulo em éfeso, ele deveria apresentar uma “sã doutrina” , a fim de derrubar os falsos mestres que se haviam levantado na Igreja, ele deveria também experimentar a graça renovadora de Deus.
A herança cristã que Paulo falou em 2 Tm 1:5  era um encorajamento pessoal muito importante para uma pessoa insegura como Timóteo, devido à sua timidez.
Em  2 Tm 1:6, Paulo convida Timóteo a ser determinado no sofrer e no sacrificar-se, unindo-se ao Apóstolo em sua confiança no poder de Deus “2 Tm 1:8”.
O ministério de Timóteo era desafiador, pois além de ter que vencer os falsos mestres, enfrentava tentações do materialismo e do secularismo “2 Tm 3:1-5”, e teria de vencê-los através de uma guerra espiritual, evitando os “laços do diabo 2 Tm 2:26” (GARDNER, 1999, pg 643).
Vemos em 1 Timóteo 6:11-16 uma exortação a que timóteo se mantenha fiel à sua vocação, mantenha-se fiel na luta até o fim da carreira, a fim de ganhar o prêmio pelas mãos do próprio Deus (DAVIDSON, 1976, pg 1323).
Através destes conselhos, esperava-se que Timóteo fosse fiel à tradição cristã, e, sabemos que ele foi. Devemos seguir o exemplo desse jovem líder que serviu a Deus a ponto de ser honrado nas Escrituras (GARDNER, 1999, pg 643).


6. Conclusão

O jovem Timóteo sempre foi dedicado à obra de Deus, deixando-nos um grande exemplo de dedicação e fidelidade para com o chamado de Deus. Ele foi um fiel colaborador do Apóstolo Paulo, trabalhando na edificação das igrejas fundadas pelo Apóstolo na 1ª viagem missionária. Sempre obedecia ao chamado de Deus para ir a qualquer igreja que necessitasse de um líder fiel à sã doutrina. Entregou-se totalmente ao trabalho missionário, a ponto de também ser preso assim como o Apóstolo Paulo o foi várias vezes, mas sempre sem desanimar. Teve de vencer a timidez, problema que ás vezes pode frustrar qualquer ministério, enfim, tem grandes exemplos para quem deseja servir a Deus na obra missionária, no episcopado, na área de educação cristã, e em várias áreas de ministério. Para ser bem sucedido no chamado de Deus é necessário vencer o medo, a timidez, e acima de tudo, ser fiel na obra, sempre lembrando que o nosso trabalho não é para os homens, e sim para Deus que recompensará a cada um conforme as obras. Mãos à obra e firmeza na Palavra de Deus, assim seremos sucedidos em qualquer ministério que Deus designar.


7. Bibliografia

ALMEIDA, João Ferreira de. A Bíblia Sagrada.Edição Corrigida e Revisada. SBTB. São Paulo; 2002.
BUCKLAND, A.R. Dicionário Bíblico Universal. Editora vida. Miami, Flórida 33167- EUA; 1981.
CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia.Candeia. São Paulo; 1991.
DAVIDSON, F. O Novo Comentário da Bíblia. Vida Nova. São Paulo; 1976.
DOUGLAS, J.D. O Novo Dicionário da Bíblia.Vida Nova.São Paulo; 2003.
RYRIE, C.C. A Bíblia Anotada. Mundo Cristão. São Paulo; 1995.

Autoria: Ana Talita Brito de Medeiros Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário